Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Março, 2008

Mentiras

Amanhã é o dia delas. Ou será que é nos outros?

Mentir é esconder? Inventar? Dissimular? Adulterar?

Mentira é uma verdade aprisionada…

Anúncios

Read Full Post »

penso

que ainda não estou bem sentado.

tenho que equilibrar o mocho.

corro e olho para trás. e tu já lá não estás.

e é numa noite sem luz que meto a cabeça entre os joelhos. aperto insignificante.

e entre a luz e a escuridão vai a distância da ilusão.

e volto a pensar…

Read Full Post »

Se o que nos apresentam são apenas tragédias – pelo menos apresentadas como o sendo -, querem que andemos contentes, anti-críticos, benevolentes, gastadores, airosos, simpáticos??
Se apenas somos números, balancetes, conta-corrente, relatórios, estatística, mole, sinopse, rebanho, estufa, para quê atirar o barro à parede?
Se o que temos nas veias é sangue, que corre a mando do coração e que alimenta o resto do corpo a mando do cérebro, para quê por um garrote e apertar até um pouco antes de morrer. Nesse breve milímetro que nos separa do vazio está o sentido inverso do aperto. Está a coragem. Está a noção da partilha.

Read Full Post »

Ametista

Read Full Post »

Digital e mental

Gray feeling

Quando se chega a, com vontade de, mas apenas se, sento-me com e adormeço para sempre…….
Mergulhos e engulhos e embrulhos.

Read Full Post »

Luzes e sombras

Encostado ao muro

E mais atrás ainda está

Romanzeira

Na Primavera começa aquilo que o Inverno findou.

Anti apagão

Para prevenir acidentes com cegonhas, colocam-se estes “cata-ventos” para as cegonhas não fazerem ninho. Noutros locais colocam-se plataformas para que as cegonhas não se vão embora, mesmo em postes de alta tensão com estes dispositivos.

  ###########

Que o meu silêncio seja a tua canção!

De que te serve o ciciar do deserdado,

Que dos jardins da vida se afastou?

Deixa-te em mim ser o não nomeado-

Como se em mim te erguesses sem sonhar,

Como a ausência do toque dos sinos,

Como a noiva de mel da minha dor

E a papoila ébria dos meus sonhos

GEORG TRÄKL

Outono Transfigurado

(tradução de João Barrento)

Read Full Post »

Lar

Lar

Uma só forma de conseguir encontrar a ebulição das palavras misturadas, com a construção do mito da paz submissa, não é fazer o ciclo tornar-se vicioso. É enfrentar a sensatez do que não é metido na gaveta do passado.

Read Full Post »

Older Posts »