Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 31 de Dezembro, 2011

Vias e paisagens

Garantido mais um ano. As obras ficam, o mesmo caminho, a mesma nuvem negra com chuva. Se houver profecias feitas de azul, sejam breves e não telecomandadas. Serei de novo espelho de água, darei apenas aquilo que tenho, ouvirei a voz e medo, sorrirei ao sol e ao vento.

A pele seca é apenas um alegre sonho passageiro. O pesadelo é apenas a lua nova de inverno, que não se vê.

A coragem continuará a ser um por-do-sol quente, com brisas suaves. As palavras serão ou não servis. O deve será amigo do haver, donde se avista a ponte da partilha menor.

Em tanto pensei, rodei o caleidoscópio colorido, mas sempre esqueci a razão de ser. O pote no fim da ilusão lá está, vazio e rachado. Os remorsos e as sementes enterram-se. O tempo dirá se vingam.

Em vão, só o que se desiste de sonhar. Existir é morrer no fim.

Read Full Post »