Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Abril, 2015

De cisão

julguei um dia
que conseguia
ir à lua
mas ela já era tua
resta a próxima maré cheia
onde as ondas morrem
e os rios correm
para inundar essa alma
em busca de calma
que a espera incendeia
       de repente
       tudo explode
       ninguém pode
       ser igual e diferente
já lá vai o tempo de ser peão
de adoçar o não
de ser mais matéria e menos razão
e voar com os pardais
e deixar que os demais
interpretem os sinais
       neste canto onde descanso
       há luz sombra e penumbra
       e é aqui que a mim pertenço

Posted from WordPress for Android

Read Full Post »

Livre e leve

à beira do precipício
para semear um princípio
um nó na forca
para gerar mais força
não sei se o que escrevo
a alguém devo
mas limpo as migalhas na mesa
evito a surpresa
nem repito
as palavras e o mito

Posted from WordPress for Android

Read Full Post »

Jazida

image

entrei devagar
nesse horizonte longínquo
onde há borboletas
e demasiadas letras
para um texto inócuo
escrito ao luar
que não serei capaz de ler
nem sequer entender
– e no ocaso dourado
deixo o sonho, acordado

Posted from WordPress for Android

Read Full Post »

image

fico preso ao que prezo
tanta vez
mas gostava que o círculo se fechasse
mas ainda ninguém o fez
ser o beijo e a face
vejo
e aprendo
e não entendo
o contrário desse todo
mergulhar no lodo
lado a lado com o vício
nada tem um início

palavras soltas
silenciosas revoltas
na construção do dia seguinte
malvadez sem requinte
só quando a matriz partir
eu irei a seguir

Posted from WordPress for Android

Read Full Post »

Extenso

Porque a minha vida tem números e dígitos:
¤
Três vezes trezentos e sessenta e cinco.
Podia equacionar outra hipótese, mas a soma seria sempre negativa.
Sempre dei multiplicação às prioridades e não é a matéria mínima que trará outro quociente.
As contas fazem-se no fim, da vida e da morte…….

Posted from WordPress for Android

Read Full Post »

acordo com a alma vazia
mas ainda não é de dia
nem é isso que eu queria
somente a dor
e o amor
seja lá isso o que for
que seja mais que um segundo
um poço sem fundo
uma noite mais neste mundo
de cara no chão
tanto sim e pouco não
bater arritmado do coração

Posted from WordPress for Android

Read Full Post »

numa outra noite qualquer
haverá tranquilidade
se ainda houver
o beijo da saudade
e que tudo o mais se esqueça
tal e qual a velha paixão desigual
que o amargo coração mereça

Posted from WordPress for Android

Read Full Post »