Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Poesia’ Category

tree-fog-forest-nature-landscape-mist-light

Photo on Visualhunt

 

leaving all the light behind

out of sight

out of mind

when the dark has no meaning

all the letters are lost

and the spiders are singing

their song in the mist

where the hands got blind

Read Full Post »

Sweet Potato Vine

de tudo o que se veste o passado

jaz e traz escuridão

desbotado

onde renasce a tua mão

¨¨¨¨¨¨¨¨

e no silêncio onde me escondo

não há cor nem contraste

será sempre redondo

o espaço que deixaste

¨¨¨¨¨¨

encontrar as palavras e as memórias doces

numa pausa embriagada

não é nada

é apenas a estrada

onde eu ia se tu fosses

Read Full Post »

numb

Photo credit: hannes-flo on Foter.com / CC BY

caminhei por entre as palavras perdidas

esperei a noite ébria

julguei que te via

mas era apenas a memória

em tantas noites seguidas

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

é nos momentos de partilha e união

que a lágrima é maior que o não

e me sento no chão

olho as estrelas e a lua

e nunca haverá beleza tão nua

que traga uma luz igual à tua

Read Full Post »

sunset-sunrise-dawn-dusk-horizon-ocean-scene

Photo on VisualHunt

quando lavras as palavras

e colhes o que não escolhes

que seja o que se deseja

se tiver que ser ao entardecer

e que o vento norte não te traga nem a morte nem a sorte

pois onde houve depois

esta é o que resta

Read Full Post »

owl-bird-tree-nocturnal-perched-predator-avian

Photo on Visual Hunt

já lá vai o dia

e nem sempre se promete

nem jura

com lágrimas de alegria

pois só o eco repete

a saudade que nunca dura

¨¨¨¨¨¨¨¨

sentado

perdi a noção e a paixão

que um dia voará a meu lado

 

Read Full Post »

acentos reflexos

sea-dawn-sky-sunset-1

Photo on Visual Hunt

por mais que seja a saudade

essa visão que atravessa o espaço

dirá sempre palavras menores

pois nunca a verdade

se desfaz como um laço

num arco-íris sem cores

e é ser maior que o pó

ter tudo e ser apenas só

o fim secreto num banco de jardim deserto

 

Read Full Post »

 

sê a tristeza nos canaviais

a beleza no jamais

desiste sempre que a luz brilha

insiste no que ninguém perfilha

caminha e lembra o começo

desde agora até ao berço

(…)

acorda quando o sonho se dilui

adormece quando a saudade flui

sinto a tua mão quando digo não!

Read Full Post »

Older Posts »