Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Capilar’

o vento nada me trouxe
nem a coragem
por pouca que fosse
fez a viagem
essa que a noite traz sem pressa
um círculo iluminado
feito no fim do pensamento
sem dia marcado
brilhando a cada momento

Posted from WordPress for Android

Anúncios

Read Full Post »

conquistei espaço no céu estrelado
mas foi num dia sem destino
um livro fechado
palavras sem tino
perdi e não lutei
fiquei sentado e triste
ainda assim sei
que a memória existe
e a vitória sem mágoa
essa simples conquista
de salvação sem tábua
de palco sem artista
virá nas asas dum sonho
no fogo onde as mãos ponho 

Posted from WordPress for Android

Read Full Post »

Imagem

encontra o lugar para guardar

uma vida escondida

de toda a razão válida pela sombra mais pálida

entre mim e a porta aberta

nunca haverá um eclipse

(nem a besta do apocalipse)

só uma amizade que se enxerta

observa

aproveita o ensejo

ilumina a minha sina

corrompe o desejo

enquanto me deito na erva

Read Full Post »

Sal do meu sangue

Autumn leaves

nunca escrevas com uma faca afiada

em madeira

não digas nada

quando não há sol na eira

há coisas que são apenas intensas na saída

para lá chegar

é preciso fazer ferida

ou ter uma flor do campo para dar

perdido que foi o momento

a fria fé de outro tempo

fica o sal, o sangue e a melodia do vento

Read Full Post »

Cruzamento

não basta sorrir

para ter um espaço

não basta errar

para ser diferente

há que seguir

um outro compasso

ter coragem e voar

numa outra corrente

Read Full Post »

monos il ab os

 

day moon

blue sky, white clouds and tiny moon

pois

foi

Read Full Post »

Como poderá ser ontem

Hoje que começou

Lento como a luz

Fria

Trepando pelas escadas a medo

Uma pena perdida que voou

Destes dedos nus

– Ela diria:

“É segredo!”

Só depois sentirias que era uma onda preguiçosa

Sempre a aprender.

Não só a raposa

Caça porque tem que o fazer!

E que esta nuvem se desfaça

E que o Outono tenha outra graça

 

Æ

Nesta mó

Neste moinho

Junto a farinha calado e só

Já que a dois estou mais sozinho

 

Faço um risco

Escrevo um rascunho

Coloco um disco

E cerro o punho

λ

E já despejo a paisagem da tempestade

Porque em seguida devolvo os cabelos à liberdade.

Read Full Post »