Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Earth’

sunset-sunrise-dawn-dusk-horizon-ocean-scene

Photo on VisualHunt

quando lavras as palavras

e colhes o que não escolhes

que seja o que se deseja

se tiver que ser ao entardecer

e que o vento norte não te traga nem a morte nem a sorte

pois onde houve depois

esta é o que resta

Anúncios

Read Full Post »

dragonfly-insect-animal-wing-chitin-shiny-orange

Photo on Visual Hunt

Then the sudden smell of burning flesh

Read Full Post »

acentos reflexos

sea-dawn-sky-sunset-1

Photo on Visual Hunt

por mais que seja a saudade

essa visão que atravessa o espaço

dirá sempre palavras menores

pois nunca a verdade

se desfaz como um laço

num arco-íris sem cores

e é ser maior que o pó

ter tudo e ser apenas só

o fim secreto num banco de jardim deserto

 

Read Full Post »

beach-sunrise-ocean

Photo on Visual Hunt

na escuridão onde nada há

tudo se conquista

mesmo que a vontade que dista

entre o medo e a revolta

não seja senão a escolta

que guarda as palavras finais

como quem espera no cais

o nascer do sol de todos os dias

que era quando esquecias

a distância de um até já!

Read Full Post »

o dia a mais

plant-yellows-planted

Photo on Visual hunt

já há flores amarelas

(mais que ontem)

menos cortinas nas janelas

por mais que as contem

nunca serão linhas de poesia

nem manhãs de maresia

Read Full Post »

máscara

9032335267_f9c4584508_c

não, não há em mim mudança

nem riso nem lágrima, apenas eu

que espera e alcança

que guarda o sol no silencioso breu

#

não entendo nem pretendo

escuto mas nem sempre ouço

as palavras e os ritmos em crescendo

já não chego à água do fundo do poço

#

deixem-me lá ser o que sou

é tarde para ser diferente

gosto da quietude onde estou

de ser cometa ausente

#

já perdi o método e a obsessão

ganhei pouco para além do sorriso

mas se um dia me ouvirem dizer: não!

talvez aí já não seja preciso

Read Full Post »

slow tempo

bridge-suspension-bridge-water

Photo via VisualHunt.com

Abre um buraco na terra, lentamente

Deixa que o movimento contínuo se dissolva

Como se amanhã a rotina ficasse ausente

Numa expectativa que a sombra fresca resolva

.

Cobre as raízes com a terra solta

Aquela que um dia será parte de nós

Rega com água da fonte, tudo à volta

E os grãos soltos não ficarão sós

.

Verás com prazer o seu crescimento lento

(todas as semanas a copa aumenta um pouco)

Ouvirás a cantiga das folhas ao sabor do vento

.

Mesmo que não tenha flores nem frutos

Alimentada pela ráiz e pelo mundo louco

Ficará como estátua feita por muitos

.

Ao final do dia quando o horizonte fica vermelho

Alisa a terra onde me ajoelho

Retirando ervas daninhas que teimam

Para que amanhã ao nascer

Quando os raios de sol as queimam

Haja vontade de viver.

Read Full Post »

Older Posts »