Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Inverno’

ao longe

Photo on Visual hunt

longos são os dias

que sobem e param

e onde perdias

as lágrimas que te guardam

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

já não há esperança

na voz que nunca alcança

o silêncio do vácuo

o brilho do fogo-fátuo

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

já não há lume

que acenda

a via láctea

onde um dia iremos

ser nós

a voz

dos extremos

da melodia

do perfume

Read Full Post »

matéria e forma

ides

pela manhã, quando me levanto

o cansaço é tanto

que me deito à sombra de mim

e faço um festim

num rio de palavras revolto

um tigre solto

na água fria do passado

¨¨¨¨

saturado da rotina

dessa crítica sem razão pura

baixo de novo a cortina

guardo no bolso a desventura

vou em busca do lilás

fica a neblina para trás

brilha o azul nublado

Read Full Post »

similar

walk-footprints-footprint

Photo via Visualhunt.com

sonhei um dia ser diferente

daquilo que hoje sou

mas quando olhei em frente

onde era para ir já não vou

 

depois tentei parar

mas a vida ia mais depressa

do que eu podia esperar

e a fome não era essa

 

molhei os pés na água fria

só porque o da frente o fazia

Read Full Post »

escada

11188709176_4d5afeede7_c

Photo credit: Stanley Zimny (Thank You for 16 Million views) via Visualhunt.com / CC BY-NC

imenso é o espelho onde o silêncio reflecte

degraus gastos

sentimentos nefastos

lábios secos, puros e castos

e essas palavras repetidas todos os dias

as mãos vazias

sem valor de frete

Read Full Post »

moon

outros tantos lugares vagos

insolúveis

onde o amanhã é somente matéria

submissão e desleixo

essas obras feitas de palavras-alvo

seta

aprendizagem fortuita de criança só

sem continuidade nem raízes

num banco de jardim onde não há flores nem cisnes brancos

Read Full Post »

Brando lume

field-cloud-countryside-hdr-fire-rain-storm

Photo via Visualhunt.com

a corda que apodrece

a paixão que arrefece

a palavra que se esquece

são capítulos imaginados num sonho condicionado

e toda a luta merece

o murmúrio duma prece

uma raiva que adormece

no inconsciente descanso do primeiro pecado

Read Full Post »

cold-snow-black-and-white-road

Photo via VisualHunt

se tiveres na mão todos os desejos

viaja pela bruma

onde o vazio se preenche

alguém espera que os dividas

como se fossem as últimas sementes na terra

esperando o sol

e um abraço sem contrapartida

vale todos os beijos

ou coisa nenhuma

mas nessa maré que nunca enche

há tantas lágrimas perdidas

tristeza que a areia enterra

que o horizonte engole

para o outro lado da vida

Read Full Post »

Argumento

no caminho, o rasto

no entretanto, o resto

do silêncio, gasto

da empatia, o gesto

Read Full Post »

Telhas

Gota

tantos punhais

que tombam ao vento

nos quintais

ao relento

onde não há nada que traga o futuro

ou até um braço pelo ombro

camisa branca em fato escuro

parca felicidade sem assombro

¨¨

caminhar na lama

acender uma tarde sem chama

dobrar a folha da fama

construir a cama

ainda que seja apenas para um encontro de novenas

¨¨

e essa trindade da partida

(seja ela quando for)

vai até onde o farol a guia

e o lenço voa na despedida

cobre de saudade a dor

rasga o livro de poesia

maldita

dor

e agonia

Read Full Post »

Alice

Horário do Fim

morre-se nada
quando chega a vez

é só um solavanco
na estrada por onde já não vamos

morre-se tudo
quando não é o justo momento

e não é nunca
esse momento

 

Mia Couto, in “Raiz de Orvalho e Outros Poemas”

Read Full Post »

Older Posts »