Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Pé’

F1000029

 

ser vazio

cão vadio

na sombra do estio

onde estão as dúvidas

e morrem as dívidas

cremam-se as vidas

na mistura

no mistério

riscar o que para sempre perdura

no que falta dizer no epitáfio no teu cemitério

 

 

¨

preencher linhas

entrelinhas

baldes de massa

coisas que ninguém faça

¨

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

contar até cem

sem

respirar

ar

ainda assim viver sem amanhã

gritar de manhã

se me disseres que sou apenas mais um

ou nenhum

serei sempre a desilusão com que ninguém conta

o fio da navalha que fere até à ponta

Read Full Post »

ergam as palavras lisas
sem capa
subterfúgio para almas diferentes
e não serão precisas
linhas no mapa
unidas e dolentes

de manhã há menos luta
a neblina traz paz e contradição
só o semblante refuta
essa trégua na lição
os peixes, as aves e as formigas
não são exemplos que sigas

a fantasia fácil
tem a morte e a sorte
envenena como um doce dócil

Posted from WordPress for Android

Read Full Post »

Burnout

IMG00081-20110716-2222

 

nada me infecta

tudo me afecta

só porque tracei uma recta

vou onde há falha

no que calha

só porque o coração trabalha

fico calado

no meu fado

de letra e brado

porque disse um dia

que tudo faria

para ficar onde ninguém ia

sou eu

não é o breu

nem o sentimento ateu

e há em mim toda uma inebriante vontade

de saltar para a corrente da irresponsabilidade

mentindo sempre com o doce amargo da verdade

Read Full Post »

e é terça

tudo se apaga

o vermelho e a paixão

o peito que já não esmaga

o vazio da solidão

tudo podia acabar

as pontes e os rios

o receber e o dar

o calor nos corpos frios

já esqueci o começo

nunca o primeiro passo

nem a conta do terço

e a flor seca no regaço

rewinder

Read Full Post »

Faíscas

A imortalidade busca-se

A cada ferida

Nas palavras emocionadas

Da despedida

Em cada abraço nota-se

A verdade indizível

Rompem-se os muitos e os nadas

Na poeira invisível

Read Full Post »

Soalho antigo

Clean foot
Clean foot

A madeira range, seca e gasta. O pé aquece como um réptil. O sol é um guardador de sonhos. Não fica a pegada, como na areia, como na terra. Fica tão-somente a sombra. E o espaço que se preenche naquele momento iluminado. Quente. Gasto. Daquela árvore saudoso.

Desbotado

Queimado pelo tempo e pela luz difusa filtrada pela cortina

Com nós e veios constrangidos…

Read Full Post »